Member

E PLURIBUS UNUM


  Benfica Glorioso  
  BTV  
  BTV  
  BTV 
  BTV  
  BTV  
  BTV  
  BTV  
  BTV  
  BTV 
  BTV  
  BTV  

Camisola Principal Benfica 23/24

tag foto 1 tag foto 2 tag foto 3 tag foto 4 tag foto 5 tag foto 6 tag foto 7 tag foto 8 tag foto 9 tag foto 10
E Pluribus Unum

EDIÇÃO DE SEXTA-FEIRA, 14 DE JUNHO 2024

Não perca nenhuma Notícia Gloriosa. Siga-nos no Google Notícias. Siga-nos ou clique no símbolo da estrela no canto superior direito.

Capítulo final marcado por três estreias


 

 O Benfica empatou (1-1) frente ao Rio Ave, em jogo da 34.ª jornada da Liga Betclic, realizado nesta sexta-feira, 17 de maio, no Estádio do Rio Ave, e que assinalou o final da época 2023/24 para os encarnados.

No momento em que foi revelado o onze escalado por Roger Schmidt para este duelo da última jornada da Liga Betclic ficou conhecido o primeiro momento de registo do desafio: o argentino Rollheiser estreava-se nas escolhas iniciais do técnicoSamuel Soares na baliza – na vez de Trubin – era outra das novidades.

Gustavo Varela – estreia absoluta na convocatória –, Prestianni e Leo Kokubo estavam no banco de suplentes.

Assim sendo, e com outras três alterações em relação à partida da ronda passada, frente ao Arouca, o Benfica apresentou-se em Vila do Conde com o seguinte onze: Samuel Soares, Aursnes, Otamendi, Morato, Álvaro Carreras, Florentino, João Neves, Rollheiser, João Mário, Kökcü e Tengstedt.

Sete minutos após a bola ter começado a rolar no Estádio do Rio Ave, Tengstedtlançado por Kökcü, recebeu o esférico, dominou-o, surgiu na cara de Miszta e tentou o golo, mas viu o guardião negar-lhe o 0-1.

Rio Ave-BenficaDez minutos volvidos, novamente os mesmos protagonistas: Kökcü, Tengstedt e Miszta. O médio turco apareceu descaído pela esquerda, colocou no interior da área, onde apareceu o avançado dinamarquês, que atirou de primeira para nova grande intervenção do guarda-redes polaco (17').Ainda aos 17' um dos momentos altos do desafio. Bola fora e altura de Ukra dar lugar a Joca. Até aqui tudo normal, não fosse este ser o último jogo da carreira do atacante do Rio Ave. Os jogadores do Benfica juntaram-se aos de Vila do Conde e fizeram uma guarda de honra para acompanhar Ukra na sua derradeira saída de campo.

Finda a rápida homenagem, a bola voltou a rolar e as águias continuaram por cima no encontro, instalados no meio-campo vila-condense, não permitindo grandes veleidades aos homens da casa. E quando estes conseguiam ultrapassar o meio-campo, a defensiva benfiquista, de pronto, resolvia.

Rio Ave-BenficaFaltava apenas materializar em golo as oportunidades que iam sendo criadas. O que aconteceu aos 32', devido a nova boa combinação entre Kökcü e Tengstedt. Aqui com a colaboração de Aursnes, que lançou Tengstedt pela direita do ataque, com este a trabalhar bem, a tirar um adversário da frente e a servir o internacional turco Kökcü, que, de primeira, rematou forte e colocado, fazendo assim o primeiro golo do Benfica em Vila do Conde e o seu 7.º em 2023/24 (0-1, aos 32').Com a vantagem no marcador, as águias intensificaram a pressão exercida sobre o Rio Ave, subindo linhas e jogando a campo inteiro. Num desses lances só não nasceu o 0-2 porque Miszta conseguiu travar um tiro muito puxado de João Mário, que recuperou a bola no interior da área e rematou forte. A jogada não morreu ali, com Tengstedt – muito ativo no jogo – a ganhar a bola e a colocá-la à mercê de Rollheiser, que atirou por cima (41').

Esta foi mesmo a última jogada do primeiro tempo. As duas equipas foram para o descanso com as águias na frente, pela margem mínima (0-1), o que não fazia jus nem ao número de oportunidades criadas pela formação orientada por Roger Schmidt, nem ao seu controlo ao longo dos primeiros 45 minutos.

A partida reatou e o Benfica regressou ao relvado com a mesma postura ofensiva e agressiva (no bom sentido) que havia evidenciado no primeiro tempo.


João Neves funcionava como motor, fazendo a ligação de jogo com João Mário – que foi procurando sempre terrenos interiores –, e, principalmente, com Kökcü, que ora jogava no apoio a Tengstedt, ora descia e tornava-se no terceiro elemento do meio-campo, aliando-se a Florentino e João Neves.

Rollheiser dispunha-se mais aberto no lado direito, sempre atento às subidas de Aursnes, enquanto do lado oposto, e face à tendência de João Mário em se deslocar para zonas mais centrais, Álvaro Carreras tinha via aberta no corredor esquerdo.

Numa dessas iniciativas do jogador espanhol, as águias iam chegando ao 0-2, naquela que foi a primeira jogada de perigo do segundo tempo. O internacional Sub-21 por Espanha tirou um adversário do caminho, acelerou, passou por outro oponente, entrou na área e serviu João Mário, que falhou o desvio.

A bola, aliviada por um jogador do Rio Ave, sobrou para Rollheiser, que atirou forte, mas contra um defensor contrário. Após alguma confusão, o esférico acabou por se perder pela linha final (53').

Rio Ave-BenficaUm minuto depois da hora de jogo, e fruto de uma pressão altíssima por parte do Benfica, Otamendi recuperou a bola já dentro do meio-campo do Rio Ave, deu para Kökcü – sempre em alta rotação –, que, após ameaçar o remate, serviu Tengstedt, com o avançado dinamarquês, no lado direito do ataque, a atirar muito forte para nova boa defesa de Miszta (61').Dois minutos depois, Roger Schmidt operou a primeira mudança, fazendo entrar Tiago Gouveia para o lugar de Rollheiser (61').

O jogo continuava a desenrolar-se por completo junto da área do Rio Ave, com Samuel Soares a ser quase sempre um espectador, e, quando assim não o era, respondia com segurança, como aos 69', quando segurou um cruzamento oriundo do lado direito.

Aos 71', novamente o guardião polaco a negar o golo a Tengstedt, num duelo muito interessante dentro do próprio jogo. Após a defesa de Miszta a remate do camisola n.º 19, a bola sobrou para Tiago Gouveia, que cabeceou sem a direção exata, e assim permitiu o corte de um oponente.

Rio Ave-BenficaEmbora já tivesse sofrido um golo, Miszta assinava uma atuação de nível altíssimo na baliza do Rio Ave, e nem ações infelizes dos seus companheiros o fizeram vacilar, como aos 73'. Boa iniciativa de Tiago Gouveia, que conseguiu passar por três adversários, deu para João Mário, que lhe devolveu a bola. Galgados mais uns metros, o médio viu Tengstedt fugir pela direita, entregou-lhe o esférico, posicionou-se no coração da área e viu o cruzamento do companheiro dinamarquês ser desviado por Patrick William e ganhar a direção da baliza, onde só uma enorme intervenção de Miszta evitou o 0-2 (73').Do pontapé de canto originado pelo lance anterior nasceu nova grande oportunidade de golo. Canto batido à maneira curta, a bola chegou até Aursnes, que se encontrava mais recuado, e lançou Tiago Gouveia, que se desmarcou pela direita, aproximou-se da área e deu para João Neves. O jovem médio recebeu e encaminhou a bola para a baliza, mas... Miszta voltou a opor-se com segurança. Na recarga, Otamendi não conseguiu encontrar a direção certa e atirou por cima (74').

Rio Ave-BenficaNo minuto seguinte, outro momento para recordar. Roger Schmidt chamou a jogo Gustavo Varela (para o lugar de Tengstedt), com o jovem avançado de 19 anos, que nesta temporada alinhou quase sempre pela equipa B, a somar os primeiros minutos pela equipa A do Benfica (75').Impulsionada pela segurança do seu guarda-redes, e pela manutenção da margem mínima no marcador, a equipa do Rio Ave, com o passar do tempo, foi-se tornando mais ofensiva.

Aos 78', Boateng colocou a bola no fundo das redes, mas, no momento em que atacou a bola, encontrava-se em posição irregular.

Com o encontro numa toada mais morna, vendo a bola longe das balizas, aos 87' Roger Schmidt voltou a mexer na equipa, promovendo mais motivos de registo. Kökcü – que se encontrava em dificuldades físicas – deu lugar a Prestianni, que assim se estreou pela equipa principal. Além do avançado argentino de 18 anos, entrou em campo Juan Bernat, na vez de Álvaro Carreras.

Rio Ave-BenficaTrês minutos antes de ser levantada a placa que deu mais seis minutos ao jogo, na sequência de um pontapé de canto, Aderllan Santos cabeceou a bola ao poste da baliza de Samuel Soares.Mas a jogada não haveria de acabar ali, pois, alertado pelo VAR para uma suposta mão de Florentino na bola no momento exatamente a seguir ao central do Rio Ave cabecear, o árbitro foi ver o lance. Após a revisão, David Silva anunciou a todo o estádio a decisão tomada: grande penalidade.

Chamado à conversão, Costinha conseguiu bater Samuel Soares (1-1, aos 90'+3').

Rio Ave-BenficaMesmo após o balde de águia fria, o Benfica não baixou os braços e tentou ir em busca dos três pontos. As águias quase que viram o seu esforço recompensado, quando Prestianni, servido por Tiago Gouveia, rematou para mais uma grande intervenção de Miszta, que assim negou uma estreia de sonho e decisiva ao antigo jogador do Vélez Sarsfield (90'+4').Se é verdade que as águias estiveram perto do 1-2, não menos verdade é que o Rio Ave também rondou o 2-1, valendo um corte providencial de Aursnes, à tentativa de Boateng (90'+7).

Poucos segundos depois, o árbitro apitou para o final do jogo e da época 2023/24 para os encarnados, que se despedem da Liga Betclic em 2.º lugar, com 80 pontos, fruto de 25 vitórias e cinco empates. Rafa, com 14 golos, foi o melhor marcador do Benfica no Campeonato.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Luan Farias contratado

Reação e vantagem na meia-final

Rui Costa explica saídas de Grimaldo e Rafa: «Pediram números exagerados»

  • Postagens
  • Comentários
  • 3812473

    Visualizações
+ Seguir Blog



com o Google Friend Connect