««« Sou do Benfica Isso me envaidece Tenho a genica Que a qualquer engrandece Sou de um clube lutador Que na luta com fervor Nunca encontrou rival Neste nosso Portugal. ««« Fundação:1904 | Presidente SAD:Luis Filipe Vieira /Site Oficial do Sport Lisboa e Benfica www.slbenfica.pt/

Receba Noticias via Email
Clique Aqui ☚ Clique Aqui ☚
Emblema Benfica

Plantel Principal 2017\2018

Classificação

 facebook  twitter  youtube  feed

Resultados futebol ao vivo oferecidos por Futebol.com


BEM VINDO

Benfica TV Online em Direto

Link 1 Clique Aqui ☚ Link 2 Clique Aqui ☚

Seguidores

BTV

Some alt text
BTV
Some alt text
BTV
some alt text
BTV
Some alt text
BTV
Some alt text
BTV
Some alt text
BTV
Some alt text
BTV
Some alt text
BTV

Leitores 244
1 214
Seguir
5444
Fans
2.414
Seguir

O MUNDO AO CONTRÁRIO

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017


Após prolongamento, o Benfica perdeu por 3-2 com o Rio Ave na visita a Vila do Conde e foi afastado da Taça de Portugal nos oitavos de final. Numa noite farta em chuva, vento e frio, a equipa benfiquista fechou o primeiro tempo em vantagem (0-1, por Jonas), mas depois viu o mundo virar-se ao contrário: dois golos dos vila-condenses, um penálti falhado por Jonas (86’) e uma lesão de Luisão, já depois do 2-2 (88’), que a atirou para o tempo extra reduzida a dez elementos. Neste período, um remate, um desvio de trajetória e o 3-2 final por Guedes.


Num encontro de emoções fortes, o Rio Ave quis ser atrevido nos instantes iniciais, mas nunca foi capaz de gizar lances que desequilibrassem a defensiva do Benfica. O melhor que mostrou foi uma execução de João Novais num livre direto (4’) para intervenção de qualidade do guarda-redes Bruno Varela.
De forma gradual, pondo velocidade nas saídas de bola e procurando explorar os flancos, a equipa de Rui Vitória começou a inquietar Cássio e aos 13’ foi mesmo a luva direita do guarda-redes da equipa visitada que impediu Krovinovic de assinar o primeiro golo em Vila do Conde.
Aos 16’, o conjunto benfiquista voltou a estar perto de enfiar a bola na baliza defendida pelo experiente guardião brasileiro: Marcelo, ao tentar intercetar o cruzamento arrancado por Pizzi na direita da grande área, desviou a bola na direção do poste. Foi o que valeu, neste momento, à equipa orientada por Miguel Cardoso.
Procurando a baliza do Rio Ave por todos os corredores, o Benfica inclinou-se para a direita aos 36’ e atingiu o que pretendia: André Almeida, servido na direita, cruzou com conta para o espaço de Jonas na zona central, um metro no interior da área do Rio Ave, onde o brasileiro puxou o pé direito atrás para disparar de primeira e marcar um golo vistoso (0-1).
Até ao intervalo, o Benfica, além de não dar hipótese de reação ao adversário, manteve os olhos apontados à baliza de Cássio.
O regresso do período de descanso foi amargo para o Benfica. Aos 47’, Cerviescorregou quando tentava sair com a bola controlada na zona defensiva; Francisco Geraldes aproveitou e desmarcou Lionn, que, de bico, venceu o duelo com Bruno Varela, que saíra para encurtar o ângulo de remate (1-1).
Já depois de Cássio ter negado o golo a André Almeida, foi o Rio Ave que voltou a ter contacto com as redes, numa finalização armada por Rúben Ribeiro, de pé direito, num lance que conseguiu inventar sobre a esquerda da área do Benfica. Bruno Varelaainda voou e tocou de raspão no esférico, que viajaria mesmo para as malhas (2-1).
Com Raúl na vez de Pizzi a partir dos 69’, o Benfica carregou. Salvio teve o 2-2 nos pés, isolado perante Cássio, mas não concluiu a jogada da melhor maneira (74’).
Oportunidade soberana para a igualdade aconteceria aos 84’, quando a equipa benfiquista beneficiou de um penálti a castigar falta de Nélson Monte sobre Jonas. O mesmo Jonas, na cobrança do pontapé de penalti, disparou com força e colocação, mas Cássio adivinhou o lado, voou e defendeu. Foi o primeiro castigo máximo falhado pelo goleador no Benfica.
2-2 tardou, mas chegaria aos 86’, com Luisão a ser mortífero ao segundo poste, após canto executado à direita por Zivkovic(substituíra Cervi) e ligeiro desvio de um companheiro ao primeiro poste.
Num dos últimos lances do tempo regulamentar, Luisão ficou impossibilitado de continuar em campo, por razões físicas. O Benfica já tinha esgotado as substituições (o último a entrar foi Seferovic, rendendo Grimaldo ainda antes do 2-2) e foi em inferioridade numérica que a equipa avançou para o prolongamento.
Num dos primeiros lances do tempo extra, o Rio Ave fez o 3-2: Francisco Geraldes rematou na área, a bola desviou no corpo de um jogador do Benfica e foi parar à zona de Guedes, que, com facilidade, encostou para as redes.
Com menos uma unidade e em desvantagem no resultado (Salvio era lateral-direito e André Almeida central), o Benfica não se rendeu e lutou pelo 3-3. Que esteve perto de alcançar aos 103’: grande tiro de pé esquerdo de Seferovic e enorme defesa de Cássio para canto. Na segunda metade do prolongamento, a equipa de Rui Vitória forçou como pôde perante um adversário que já se preocupava mais em queimar tempo do que em jogar.
O Benfica gerou cruzamentos, ganhou cantos, a bola rondou a baliza do Rio Ave, mas não entrou de maneira nenhuma. Em consequência, os encarnados viram-se eliminados da prova.


Comentar com: ou
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Enviar um comentário

obrigado pelo seu comentário !!!

Siga-nos no Facebook!!! https://www.facebook.com/benficaglorioso ☚ Visita


Sports Blogs
blog directory
 
Benfica Glorioso © Obrigado e volte sempre!!!
BENFICA GLORIOSO

Feito por BENFICA GLORIOSO * SAUDAÇÕES BENFIQUISTAS * * E PLURIBUS UNUM * Benfica Glorioso © 2011 \2018